quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Alguém Conseguiu Anotar A Placa?

Na legislação brasileira de trânsito, nenhuma pessoa com menos de 18 anos de idade pode tirar carteira de habilitação para dirigir veículos motorizados. E, na Copa São Paulo de Juniores (competição sub-18), o Corinthians estreou atropelando o Santos da Paraíba: 9a0, com direito a muitas outras chances de gol que ora bateram na trave, ora foram defendidas pelo goleiro Andrezo, ora passavam perto do alvo. Será que alguém conseguiu anotar a placar da máquina comandada pelo ex-santista Narciso?

No próximo dia sete, o Corinthians volta a campo para enfrentar a Desportiva, do Espírito Santo, novamente no estádio Alfredo Chiavegato. A julgar pelo resultado de estréia da equipe capixaba (derrota de 6a0 para a Juventus), é bom prepararem o radar eletrônico, colocar os guardas de plantão e deixar as ambulâncias à postos, porque um novo atropelamento é iminente.

O jogo

De um lado, um clube tradicional do futebol brasileiro, atual campeão nacional na categoria profissional e detentor de sete títulos na história da Copa São Paulo. De outro, um clube que sequer tem futebol profissional (dedica-se exclusivamente às categorias de base) e pela primeira vez disputava a Copinha. Se do ponto de vista histórico a diferença já era brutal, o negócio não era diferente no rendimento interno às quatro linhas: sobrando técnica e fisicamente, o Corinthians foi criando as chances com enorme naturalidade. As constantes aparições do lateral-esquerdo Denner e do meio-campista Fernandinho eram envolventes, mostrando que o(s) gol(s) eram mera questão de tempo. Aos três minutos, Denner cruzou da esquerda, a bola atravessou a boca do gol mas ninguém conseguiu alcançar. Aos seis, a bola sobrou para Fernandinho, que chutou e o goleiro Andrezo espalmou no alto. Do escanteio aí originado, a bola chegou ao segundo pau e lá foi cabeceada por Denner - o desvio na marcação levou a redonda até o travessão. Com oito minutos, Denner e Fernandinho tabelaram pela esquerda, Denner cruzou e a bola acabou sobrando para Fernandinho, que chutou e Andrezo encaixou. Na marca de dezesseis minutos, Fernandinho fez a tabela, limpou o lance, chutou cruzado e Andrezo realizou nova defesa. Eram muitas chances com a bola rolando, mas o gol inaugural veio em cobrança de falta: aos dezessete minutos, uma linda cobrança de Denner levou a bola até o quadrante um. 1a0 Corinthians em Jaguariúna.

As facções "Gaviões da Fiel" e "Camisa 12", que encararam o sol de verão às três horas da tarde e marcaram presença na arquibancada, faziam muito barulho desde o início do jogo e provavelmente nem o mais fanático do "Bando de Loucos" imaginava que veria uma grande goleada naquela partida de estréia. Aos vinte minutos, Giovanni recebeu na direita e chutou firme - Andrezo rebateu, mas a bola voltou para Giovanni e aí não teve jeito. 2a0 Corinthians. O terceiro saiu aos vinte e sete minutos: Matheuszinho recebeu na meia-lua, aproveitou vacilo da defesa e chutou no canto direito. Aos trinta e um minutos, foi a vez do centroavante Leandro deixar o dele: Cristiano cruzou rasteiro da direita e a bola foi atravessando a área. Mesmo acompanhado de perto por Morcego, Leandro conseguiu se antecipar à marcação do sujeito com apelido de mamífero voador e empurrou a redonda pra rede. 4a0 Corinthians.

Cabiam mais gols no primeiro tempo, mas uma defesa de Andrezo aos trinta e cinco minutos, um ato egoísta de Ânderson aos quarenta e um minutos (ele preferiu chutar quando poderia servir Fernandinho livre na esquerda em contra-ataque de três para dois e mandou para fora) e um chute que raspou a trave aos quarenta e quatro minutos foram as últimas oportunidades antes do intervalo. Veio a etapa complementar e logo com um minuto saiu o quinto gol corinthiano: em escanteio cobrado pela direita, a bola passou por cerca de cinco jogadores e chegou até Gomes, que mandou pra rede. Aos sete minutos, o sexto: Cristiano cruzou da direita e Leandro mergulhou para cabecear no canto esquerdo.

Era simplesmente impressionante o ótimo aproveitamento dos cruzamentos corinthianos. Cristiano pela direita e principalmente Denner pela esquerda conseguiam colocar a bola caprichosamente para a conclusão de seus companheiros de uma forma que raramente vemos entre jogadores profissionais da mais larga experiência. Você pode até pensar que isso se deva à fragilidade da equipe adversária, mas veja bem: independentemente do nível técnico do outro time, para um cruzamento sair certo, a precisão é essencial. Então, coloco aqui todos os méritos para Cristiano e Denner, que já parecem dominar o fundamento. Aos onze minutos, um escanteio cobrado curto deixou a bola com quem? Com Denner. E o que Denner fez? Cruzou a bola. E como foi o cruzamento? Certeiro. Coube a Gomes cabecear para e rede e anotar o sétimo gol da equipe.

Tanto falamos de cruzamentos e o oitavo gol saiu de modo diferente: em troca de passes rápidos pelo chão. E no melhor estilo Barcelona, hein! Aos vinte e dois minutos, em meia dúzia de toques na bola (quatro deles de primeira), o Corinthians pôs a defesa oponente na roda e Matheuszinho deu o último toque - de letra! - para completar a linda jogada. Na marca de trinta minutos, veio o nono e derradeiro gol. Então, voltemos a falar de cruzamentos: Cristiano cruzou da direita, Leandro não concluiu mas a bola voltou nele ("obrigado, defesa adversária", deve ter pensado o centroavante). E aí foi mandar pra rede e fechar a conta. Digo fechar a conta porque assim quis o goleiro Andrezo, que ainda fez três defesas (duas delas em finalizações seqüenciais).

Campeão sete vezes da Copa São Paulo de Juniores, o Corinthians parece ter um time bom o bastante para buscar o oitavo título em 2012. O futebol paraibano, que jamais colocou um clube na segunda fase dessa competição, parece que, no que depender do Santos, terá de aguardar mais um ano. De toda forma, cabe fazer alguns elogios ao time que saiu goleado: sem dar um único pontapé e saindo para o jogo sem medo de ser feliz, o time dirigido pelo treinador Franklin até mostrou algumas qualidades. Para mim, a maior dessas qualidades foi a atitude de um time que foi a campo pura e simplesmente para jogar futebol, mesmo diante de um adversário notoriamente superior. Uma questão filosófica, que vai muito além do mero resultado.

3 comentários:

  1. Participe do Super Quiz, desafio 5:
    http://fcgols.blogspot.com/2012/01/super-quiz-desafio-5-bonus.html

    ResponderExcluir
  2. Corinthians confirmou o seu favoritismo nesta goleada! Excelente jogo do Corinthians.

    _____________________________________________________________
    Sobre o Super Quiz, eu pesquisei e vi que o Liverpool tinha a maior goleada, só que indo mais afundo, descobri que essa era a segunda maior goleada. Se quiser pode mudar seu voto.

    Participe do Super Quiz, desafio 5:
    http://fcgols.blogspot.com/2012/01/super-quiz-desafio-5-bonus.html

    ResponderExcluir
  3. Valeu, Patryck. Voto modificado lá. Vivendo e aprendendo.

    Abraços.

    ResponderExcluir