quinta-feira, 29 de julho de 2010

Em Alta, Em Média, Em Alerta E Em Baixa - 29/07/2010

Vamos definir quem foram os destaques positivos e negativos dessa semana:

Em Alta

MANO MENEZES - Contratado pela seleção, sob o aval de grande parte dos brasileiros, ovacionado em sua despedida pelo Corinthians, deixa o time na primeira posição do campeonato, convoca uma seleção aprovadíssima, e tem tudo pra fazer o país se apaixonar pela sua seleção novamente. Que fase de Mano.

TORCIDA DO INTERNACIONAL - O que foi aquilo no Beira-Rio? Foi de arrepiar a festa da torcida colorada para empurrar o time contra o São Paulo. Até mesmo as vaias sobre Fernandão foram ensurdecedoras. E lança um desafio para a torcida tricolor no Morumbi para fazer igual.

HEITINGA - O Holandês começou discreto na Copa, se destacou e agora fecha contrato milionário com o Real Madrid, desbancando até mesmo a preferência de Özil.

VALDÍVIA - O meia chileno fez o Palmeiras abrir os cofres de uma vez e desbancar quase 8 milhões de Reais para sua volta. Está valorizado o camisa 10.

SELEÇÃO BRASILEIRA DE VÔLEI - Eu me lembro quando era criança e a seleção de Vôlei tinha 1 título da Liga Mundial contra 8 da Itália. E eu pensava, só se acontecer algo mágico na história de nosso Vôlei pra podermos alcançar eles. E o mágico se chama Bernardinho. Tornou uma seleção que já estava se tornando veterana em uma seleção jovem e extremamente forte.
Enfrentou as criticas do mundo inteiro e se sagrou a maior campeã da Liga na história. E que venha o tri - mundial.

Em Média

AVAÍ - O time da ressacada vai segurando bons empates e se mantém em destaque no retorno da Copa. Invicto nestes últimos 4 jogos, o Avaí já cutuca muita gente grande pelo topo.

PALMEIRAS - 3º Empate em 4 jogos. O time palestrino se reforçou mas ainda mostra uma defesa muito fraca e um ataque que ainda deixa a desejar. Vai se mantendo em média enquanto os líderes vão vencendo e subindo.

Em Alerta

RICARDO GOMES - Com o cargo extremamente ameaçado, o treinador vive cada dia no São Paulo como se fosse o último. E está próximo de acertar. Mais uma atuação abaixo da média diante do Inter. E sábado tem outra pedreira, o Ceará.

MURICY - A recusa a seleção, ocasionada pela restrição do Fluminense, mas também por sua passividade em aceitar as ordens do tricolor, fez Muricy cair no descontentamento de muitos torcedores brasileiros. Muitas criticas ao treinador que teve sua recusa taxada como "menosprezo" cairam na critica geral. Afinal o sonho de todo treinador estava nas mãos do treinador do Flu, e este abriu mão.

SPORT - O time do Recife vem amargando terríveis resultados e está correndo risco de rebaixamento na série B. Se não abrir o olho vai fazer clássico contra o Santa Cruz no abismo do Brasileirão.

Em Baixa

NEYMAR - O Pênalti do jogador santista ontem deixou muito santista nervoso. Brincar daquele jeito em final de campeonato que vale vaga pra Libertadores? Não dá Neymar... Jogar pro time também é importante rapazinho...

LEÃO - O treinador do Goiás está fazendo papel de ridículo. Se esquece frequentemente que é uma figura pública e demonstra extrema falta de esportividade. Saber perder é uma coisa que todos precisam aprender, mas se esqueceram de avisar o grande ex goleiro da seleção. Pegou 30 dias mas que a punição seja severa para que o exemplo atinja todos os níveis de nosso futebol.

O impasse da diretoria tricolor...

Hoje o torcedor são paulino amanheceu de certa forma otimista. Está por 2 gols de se tornar finalista da Libertadores. Possível, totalmente possível. Mas o fato é que esses 2 gols não tem saído nem em jogos mais fáceis.

Não, o São Paulo não tem jogado mal. Mas tem jogado o que tem sido proposto para seu jogo.
Ontem no Beira Rio o que foi visto foi um massacre do meio campo colorado em cima do Tricolor.
Consequentemente, um tiroteio pra cima de Rogério Ceni, que esteve brilhante e passou a segurança que há muito tempo o torcedo São Paulino não tinha em sua defesa.

Só na defesa, porque do meio campo pra frente, o que se vê é um time extremamente sem criatividade ou habilidade. E vai precisar muito, mas muito disso pra passar a barreira de vermelho que vai se instalar no campo do Morumbi na quarta-feira.

E é aí que está o problema. Pode Ricardo Gomes fazer com que o time dê mais do que o que foi visto ontem? E se não puder? É a hora da diretoria trocar de técnico, faltando 6 dias para o jogo mais importante do ano?

Sinceramente Marco Aurélio Cunha e Juvenal Juvêncio tem um dos maiores dilemas dos últimos anos. É fato concreto que o elenco são paulino não está evoluindo nas mãos do treinador... Mas é assumir um risco absurdo trocar o comando técnico agora. Seria passar a responsabilidade de uma possível eliminação do treinador para a diretoria.

O fato é que restam 6 dias para que esta história se conclua. Serão definidos os vilões ou até mesmo os heróis. Até lá, o São Paulo treina pelo "algo a mais" que ainda não veio. E o Inter... vem a São Paulo esperando que, assim como foi com o Grêmio Prudente, Avaí, Santos, e Vitória... que o "algo a mais" fique sempre prometido para o jogo seguinte, e não neste.

Santo Desperdício!

O Santos foi claramente superior ao Vitória, dominando o jogo e criando diversas oportunidades. Porém, como apenas duas delas foram convertidas em gol, o Peixe irá ao Barradão precisando ficar esperto, pois uma derrota por 2a0 levará a decisão do título da Copa do Brasil 2010 para os pênaltis. Marcando um golzinho no campo adversário, poderá sofrer 3 que mesmo assim assegurará o segundo caneco no ano.

O jogo

Mesmo com o Vitória realizando uma marcação de forma correta, a Vila Belmiro praticamente lotada incentivava o Santos a buscar a penetração e correr atrás do 1º gol o quanto antes. A primeira chance clara aconteceu em cobrança de falta de Paulo Henrique Ganso, aos 11 minutos, parada pela trave. 3 minutos depois, já viria o gol: Pará recebe na direita, cruza à meia-altura, a bola passa por André mas não por Neymar, que escora com a barriga para inaugurar o marcador. Mais 3 minutos passados, mais Santos: Alex Sandro se livrou da marcação pela esquerda, rolou para Robinho e o camisa 7 completou chutando colocado, mas à direita da meta.

Com 22 minutos, o treinador Ricardo Silva via-se obrigado a efetuar a primeira substituição, tirando o contundido Rafael Cruz (meia utilizado como lateral direito) para a entrada de Bida (volante de origem). O ritmo do jogo diminuiu, mas o Santos teve nova chance de ampliar ainda antes do intervalo: Robinho tocou de lado para André, que ajeitou e chutou cruzado com a perna esquerda, sobre o travessão.

Na volta do intervalo, a equipe santista reiniciou o jogo em ritmo frenético, conseguindo oito finalizações nos primeiros catorze minutos da etapa complementar. Mas nada de bola na rede.

Vieram mais duas substituições - uma para cada lado -, Ramón por Renato e André por Marcel. E, aos 27', Neymar fez jogada individual dentro da área, ia se livrando da marcação mas foi derrubado: pênalti marcado por Leonardo Gaciba. O próprio Neymar tratou de ir pra cobrança, mas a cavadinha foi manjada pelo goleiro Lee, que defendeu em dois tempos sem praticamente precisar se mover.

Se o Santos tinha direito a mais duas trocas de jogadores e o Vitória a mais uma, ambos os times fizeram-se valer disso: saíram Robinho, Paulo Henrique Ganso e Fernando para as entradas de Zé Eduardo, Marquinhos e Gabriel. E de um deles saiu o 2º e último gol do jogo. Aos 38', Marquinhos cobrou falta encobrindo levemente a barreira e carimbando a parte interna da trave direita antes de a bola rumar pra rede, para delírio dos santistas.

Sem esboçar reação, o Vitória ainda passou alguns sustos nos acréscimos, quando o Santos teve uma seqüência de finalizações ora defendidas por Lee ora sendo bloqueadas pelos jogadores rubro-negros.

A vantagem do Alvinegro Praiano é significativa, mas a parada poderia já estar resolvida.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

ShowBol No Maracanãzinho

No último sábado, 24 de julho, foi realizado um evento de ShowBol no ginásio do Maracanãzinho e o blógui Jogada De Efeito marcou presença para trazer a vocês imagens exclusivas.

Nos jogos preliminares, destaque para a partida entre atores e cantores, vencida pelos "noveleiros" por 9a7. O repórter Oscar Filho, "o anão" do programa CQC (Custe o Que Custar), ficou mais tempo fora do gramado do que propriamente dentro, levando bronca dos seus companheiros de equipe. Mas, no final das contas - e com Oscar Filho devidamente substituído - a vitória foi mesmo da equipe que vestia azul.

Oscar Filho (11) do lado de fora do campo, deixando o time na mão; jogadores mostram que o "atleta" não está nem aí pro jogo, já tendo inclusive tirado o uniforme. Abaixo, troféu sendo erguido.

Na partida mais esperada, a seleção brasileira superou a mexicana exibindo belas jogadas de efeito e bastante falta de entrosamento no campo de grama sintética. Imagina se os jogadores tivessem treinado juntos! Talvez nem seria preciso, até porque muitos deles já se conheciam dos tempos em que desfilavam seus talentos pelos gramados naturais dos campos brasileiros e mundiais.

Entre uma partida e outra, porém, também houve espaço para momentos interessantes. A performance das animadoras de torcida foi um atrativo a mais para o já agradável espetáculo que o evento gratuito proporcionava. Lamentavelmente, as arquibancadas tinham mais lugares vagos do que ocupados, mostrando que a divulgação acerca dessa Copa Bicentenária foi bastante deficiente.

Animadoras de torcida dando um show à parte. Diante da imagem abaixo, pergunto: algo contra ficar no banco de reservas?

Quanto ao jogo (difícil se concentrar nele com a presença daquelas meninas), a seleção do Brasil contou com os seguintes jogadores: Zetti, Andrey, Júnior Baiano, Gonçalves, Válber, Émerson, Paulo Sérgio, Viola, Robertinho, Paulo Rink, Edmundo, Djalminha e o estreante Romário. Uma das figuraças da partida foi o árbitro Oscar Roberto de Godoy, que não dispensou alguns dos trejeitos que apresentava nos tempos em que apitava profissionalmente, com direito a levantar o cartão amarelo de forma enérgica - como se fosse necessário impôr autoridade naquela partida.
Brasileiros e mexicanos se cumprimentam antes de a bola rolar para a partida de ShowBol. Abaixo, Paulo Sérgio converte pênalti para fazer 7a2 Brasil.
Acima, Godoy , querendo aparecer, mostra cartão amarelo para Paulo Rink. Abaixo, jogadores levantando o troféu após a vitória por 9a5.

Chivas Só Empata E Terá De Se Virar No Chile

Acostumado nessa Copa Libertadores a decidir a vaga fora de casa com uma confortável margem de gols (venceu no estádio Azteca os jogos de oitavas e quartas-de-final pelo placar de 3a0), o Chivas Guadalajara, dessa vez, terá de arrancar pelo menos um empate com gols diante da fanática torcida do Universidad de Chile. O empate por 1a1 no jogo da noite de ontem teve ambos os gols marcados na etapa complementar, numa partida onde a atuação do goleiro chileno Miguel Pinto foi determinante para que os mexicanos não conseguissem garantir uma vitória.

O jogo

A primeira etapa teve alguma movimentação, principalmente por parte da equipe da casa, mas careceu de grandes emoções. As principais chances de gol passavam pelo camisa 7 Adolfo Bautista, que desempenhava a função de referência no ataque atraindo a forte marcação adversária e tentando servir os companheiros.

No segundo tempo, a partida acelerou, ganhou em qualidade e teve dois gols com menos de 7 minutos da volta do intervalo. O primeiro foi da equipe visitante: no 2º minuto, a defesa mexicana afastou mal uma bola alçada na área e Rafael Olarra recebeu livre para completar pro gol.

5 minutos depois, as investidas do Chivas deram resultado: Omar Bravo cabeceou firme após cobrança de escanteio, Miguel Pinto fez grande defesa parcial e Omar Arellano apareceu para estufar a rede no rebote. Detalhe: o lance que deu origem ao escanteio era para ter sido marcado como tiro-de-meta.

Daí pro final, a partida foi praticamente de ataque contra defesa (exceto pelos alguns momentos em que Walter Damián Montillo tentava conduzir "La U" para a frente). Mas Miguel Pinto estava numa noite segura e impediu qualquer pretensão mexicana de alcançar a virada. A vaga na final será definida na próxima terça-feira, no estádio Nacional de Santiago.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Equipe E Jogada Da Semana

Ninguém, além do Internacional, voltou do período pós-Copa do Mundo conseguindo 100% de aproveitamento nessas quatro últimas rodadas da Série A. Celso Roth, treinador que foi contratado justamente nesse período de recesso, só conhece a vitória no comando colorado.

Quarta-feira, a equipe visitou o Atlético em Sete Lagoas e conseguiu um triunfo de virada, com dois gols de Alecsandro. No domingo, poupando alguns jogadores para dar seqüência ao plano de chegar o mais forte possível na Copa Libertadores da América, a equipe superou o Flamengo com uma vitória por 1a0 no Beira-Rio (gol de Taison) e entrou no G4.

Se, antes da pausa pra Copa, o São Paulo era favorito para o duelo semifinal, as coisas mudaram de figura. O Tricolor Paulista atravessa um momento crítico, com um ponto ganho em 12 disputados. E o Inter é isso daí que estamos vendo, numa ascendente impressionante e que ganha contornos ainda mais firmes dados os reforços que se juntaram ao plantel alvirrubro.

Jogada da semana

Esse blógui acompanhou o jogaço entre Figueirense e Santo André, pela 11ª rodada da Série B 2010. No vídeo que segue, podemos ver os dois gols da equipe da casa. Atenção ao segundo, que começa a ser mostrado com 36 segundos de vídeo. Nele, Willian tabela com Maicon, que devolve a bola com uma cavadinha sensacional. O desfecho da jogada? À altura da assistência. Confira.

Jogão De Bola No 1a1 Do Clássico Vovô

Botafogo e Fluminense se encontraram pela terceira vez em 2010 e fizeram outro grande jogo de futebol. Se pela Taça Rio cada equipe ganhou em uma oportunidade, dessa vez o "Clássico Vovô" terminou empatado, em partida repleta de alternativas e que contou com um segundo tempo espetacular.

Antes de a bola rolar pela 11ª rodada da Série A 2010, a torcida botafoguense já festejava: o meia Maicosuel, que teve boa passagem pelo clube no primeiro semestre de 2009, foi apresentado oficialmente como principal reforço alvinegro para a continuidade do Brasileiro, vindo do Hoffeinheim em transação milionária.

A torcida tricolor assistia a estréia de Juliano Belletti (escalado no meio-campo) e de Emerson "Sheik" (vestindo a camisa 10), além de vibrar com a permanência de Muricy Ramalho, que não foi liberado pelo presidente Roberto Horcades para poder servir a seleção brasileira.

Com bola rolando, a primeira etapa foi apenas o aperitivo do grande jogo que viria pela frente. O líder Fluminense até conseguia uma ou outra jogada, mas a equipe mais incisiva era a do Botafogo que, mesmo jogando com três volantes, atacava em bloco e colocava a defesa adversária na roda.

A equipe da casa se impunha e obrigava o goleiro Fernando Henrique a mostrar serviço, fazendo intervenções em bolas cruzadas e em chutes que tinham o endereço da rede. A melhor chance tricolor aconteceu aos 42 minutos, quando Darío Conca acionou Carlinhos em contra-ataque veloz e o lateral esquerdo chutou rasteiro, cruzado, perto da trave esquerda do goleiro Jéfferson. 2 minutos depois, o alvinegro respondeu à altura: Germán Herrera deu uma meia-lua em André Luiz, chutou cruzado e Diogo tentou afastar mas acabou desviando para trás, com Fernando Henrique evitando mais uma vez que o placar fosse inaugurado.

Segunda etapa tem de tudo: gols, grandes defesas, confusões, expulsões, contusões

Sem substituições no intervalo, a grande mudança vista na volta dos vestiários foi a atitude dos jogadores tricolores, que partiram para o ataque. Fred desperdiçou uma chance aos 2 minutos e Conca, em jogada individual, também esteve perto de marcar.

Com 10 minutos, Somália avançou e chutou de fora: a bola veio forte, quicando, mas Fernando Henrique conseguiu mandar para escanteio. No minuto seguinte, a arbitragem de Rodrigo Nunes de Sá anulou jogada legal do Botafogo, que levaria grande perigo quando chegou aos pés de Marcelo Cordeiro, para revolta dos botafoguenses.

Aos 15', Emerson apareceu em boas condições e desviou de Jéfferson, mandando para fora com grande perigo. Na cobrança do tiro-de-meta, a bola foi direto para o ataque tricolor, que dessa vez não desperdiçou: Fred serviu Emerson, que driblou Jéfferson e completou para fazer 1a0.

Pouco depois do gol, Fred deixaria o campo contundido, dando lugar para Alan. Após o jogo, a informação é de que o camisa 9 tricolor ficará por cerca de 20 dias em recuperação da lesão na panturrilha.

A partida, que já tinha várias fagulhas, passou a pegar fogo: Somália e Emerson se estranharam, "trocaram gentilezas", e receberam cartão amarelo em confusão onde até o técnico Muricy Ramalho acabou se envolvendo na tentativa de acalmar os ânimos dos atletas.

Pouco depois da primeira confusão, Mariano e Marcelo Cordeiro também se estranharam e o lateral tricolor empurrou o botafoguense pelo pescoço, em acintosa agressão: o cartão amarelo ficou gratuito para o jogador do Fluminense.

Com Caio no lugar de Fahel e Renato Cajá na vaga de Lúcio Flávio, o Botafogo chegou ao empate: Renato se livrou da marcação pela esquerda e alçou na área. Edno fez o movimento de cabeceio e viu a bola passar por Fernando Henrique para deixar tudo igual.

A partir daí, o controle da partida era totalmente alvinegro: Fernando Henrique fez defesa sensacional com o pé direito para evitar a virada em chute de Edno e, em outro lance, contou com a sorte ao ver o cabeceio de Antônio Carlos parar na trave. Aos 38', porém, o Flu viu-se perto de marcar o segundo gol, mas o cabeceio acertou a trave direita de Jéfferson.

Com 40 minutos, Thiaguinho, ex-Botafogo, foi expulso após ter agressão flagrada, empurrando Marcelo Cordeiro no rosto. A desvantagem numérica tricolor não demorou mais que dois minutos, quando Somália recebeu o segundo amarelo e também deixou o gramado. Mais três minutos passados e novo botafoguense recebeu cartão vermelho pelo segundo amarelo: o zagueiro Danny Moraes. Na cobrança de falta, Marquinho conseguiu tirar da barreira mas não do goleiro Jéfferson, que defendeu bonito, evitando uma derrota que não seria condizente com o desenho do jogo.

Esse resultado, combinado com os outros jogos da rodada, tirou o Fluminense da liderança da competição e colocou o Botafogo na zona de rebaixamento. No sábado, os comandados de Muricy Ramalho receberão o Atlético Paranaense. No dia seguinte, o Botafogo vai ao Barradão para jogar com o Vitória, no que pode ser a reestréia de Maicosuel.

Minutos antes do clássico rolar, Maicosuel é apresentado e pode estrear na próxima rodada.

Outros jogos

Sábado: Avaí 0a0 Atlético/MG, Vasco 2a0 Atlético/GO e Grêmio Prudente 0a0 Vitória.
Domingo: Santos 1a0 São Paulo, Cruzeiro 2a2 Grêmio, Internacional 1a0 Flamengo, Goiás 0a2 Atlético/PR, Ceará 0a0 Palmeiras e Corinthians 3a1 Guarani.

SANTOS 1 X 0 SÃO PAULO - Ahhh se não vier a Libertadores...

Libertadores é o torneio mais difícil do continente. Por isso nunca foi obrigação.

Porém o São Paulo está fazendo com que vire uma obrigação para seus torcedores.

Mais um resultado ruim , com um futebol ruim. Foi a melhor apresentação do São Paulo desde o retorno da copa...mesmo assim muito longe do que o time precisa pra ser campeão continental.

E ao ver o Brasileiro ficando extremamente longe, a pressão para as 2 batalhas contra o Inter vai se tornando insuportável. Imagine uma derrota para o colorado, e o tricolor se volta para um Brasileiro onde está em 15º, com a mesma pontuação dos times que já estão na zona de rebaixamento, e a 12 pontos de um empolgado Corinthians e 11 de um extremamente motivado Fluminense.

Dá pra alcançar depois? Claro que dá. Mas só se o tricolor comandar uma arrancada absurda de vitórias e contar com vários tropeços dos líderes. E eu ainda nem falei do Ceará com sua defesa sensacional, do Avaí e sua empolgação imbatível e do Inter que tem tudo pra ser destruidor no Brasileirão. Será que todo mundo tropeça a tal ponto?

Tirando o fator Ricardo Gomes. Se não vencer a Libertadores, cai sim. Vai haver tempo e calma para outro técnico reestruturar o elenco do Morumbi? Impossível se as posições não forem melhorando.

E tudo isso levantei para o seguinte fato : O Brasileirão tem um significado tão inferior assim a ponto de ser totalmente ignorado para a Libertadores e esta ser a única coisa que interessa de fato?

Se um time não ganha a Libertadores, praticamente todo o ano é perdido? Um título brasileiro não tem mais valor?

Se for assim, que entreguem ao fim do Brasileiro, não o troféu de campeão, mas 4 troféus aos classificados para o torneio continental. E só.

Mas tomara que minha visão esteja enganada. E o Campeonato Brasileiro ainda seja um torneio que envolva amor, paixão e muita emoção para mais de 180 milhões de pessoas. E que traga orgulho para seu campeão, fato que obrigue seus 20 competidores a batalharem 38 vezes por esse status.

E tomara que o São Paulo se lembre que ser campeão Brasileiro é uma das glórias mais extraordinárias que um time pode ter.

sábado, 24 de julho de 2010

VAI MANO !!!!!


O novo treinador da seleção se tornou em um dos assuntos de mais discussão no futebol neste ano no país.


Era impossível uma unanimidade, visto o bom nível de treinadores que temos, contendo uma elite interessante no país (Mano, Muricy, Felipão), alguns nomes de respeito (Abel Braga, Paulo Autuori) e possíveis zebras (Ricardo Gomes, Leonardo).


Porém, nesta sexta-feira o Brasil inteiro, e principalmente a imprensa esportiva sofreu uma das maiores "pegadinhas" dos últimos tempos. Enquanto inúmeros sites e blogs postavam Muricy já antecipadamente como o novo comandante do esquadrão canarinho, o Fluminense fez todo mundo voltar atrás com o que tinha noticiado.


E eis que em uma segunda opção (e que honra ter uma segunda opção assim), Mano Menezes não teve os mesmos obstáculos e assumiu essa manhã, o segundo cargo mais importante do país, somente atrás do Presidente da República.


Um treinador que sempre se identificou com as torcidas por onde passou, e que passou a ser conhecido por livrar times do "buraco". Tirou o grêmio da série B, e o levou para a Libertadores quando retornou a série A. Em seguida assumiu o Corinthians, e transformou o horroroso time de 2005 em um dos times mais temidos do país nos últimos anos. Resgatou a alma gremista e corinthiana.


Por isso que afirmo que é o homem certo na hora certa. Em 2006, Parreira fez um país desanimar com uma seleção desleixada e sem amor a camisa. A partir daí a antipatia e arrogância de Dunga , fez o país não só desanimar quanto criar um sentimento de repugnação ao combinado nacional.


Mano tem a missão mais dura da história de uma seleção : Vai comandar o país dentro de sua casa, para conquistar a copa do mundo mais cobiçada de sua história. E pra isso vai precisar da nação ao seu lado. E é pra isso que veio. Pra buscar o amor do torcedor a sua seleção, que será crucial para o Hexa no Brasil.


Boa sorte a Mano Menezes, o líder da Seleção Brasileira.


E deixando de lado o politicamente correto de um blog esportivo :


VAI MANOOOO!!!! TRAS O HEXA PRA GENTE !!!!!



sexta-feira, 23 de julho de 2010

Série B Tem Três Jogos E Somente Um Vencedor

A décima rodada, que teve início na terça-feira com duas partidas (goleada do Brasiliense sobre o Paraná e empate entre Figueirense e Santo André, em grande jogo de futebol), recebeu mais três jogos na noite de hoje.

No estádio Moisés Lucarelli, a Ponte Preta contou com um gol de Reis aos 37 minutos da etapa complementar para abrir o placar. Porém, a equipe da casa foi incapaz de manter a vantagem e cedeu a igualdade ao Ipatinga aos 42 minutos, gol de Alessandro, para alegria de Leonardo Condé: o técnico da equipe visitante havia promovido duas substituições instantes antes (Dirceu por Chiquinho e Beto por Preto).

Com o resultado, os pontepretanos ficam em 15º lugar enquanto a equipe mineira, penúltima colocada, pode terminar a rodada na lanterna da competição.

No estádio Doutor João Cláudio Vasconcelos Machado - "Machadão", se preferir - o América de Natal jogou em vantagem numérica desde os 18 minutos da primeira etapa, mas nem assim conseguiu evitar o empate sem gols diante do Bragantino. A equipe visitante, para recompôr a marcação, tirou Lúcio (aquele mesmo, veteraníssimo dos gramados) precocemente da partida e perdeu grande parte do seu poder de criação. Mas a atuação do goleiro Gilvan garantiu um ponto na bagagem alvinegra.

3 pontos e uma única posição separam Braga do próprio América: os paulistas estão no limite da fronteira da zona de descenso, aberta nesse momento pelo clube potiguar.

No mesmo campo que vem sendo utilizado por Cruzeiro e Atlético, o América Mineiro venceu o Icasa por 2a0 (gols de Hélton Luiz e Thiago Silvy, ambos na segunda etapa) e saiu da Arena do Jacaré com a 3ª colocação na tabela. A equipe acompanhará os jogos de sábado para saber se terminará a 10ª rodada na zona de acesso. Já o Icasa segue na zona neutra, em 12º, 6 pontos a frente do América de Natal e 5 pontos atrás do Coritiba, equipe que atualmente fecha o G4.

Palmeiras Lamenta E Botafogo Celebra Empate

Quem achou que o reencontro de Luiz Felipe Scolari com a massa palmeirense seria com vitória, teve uma surpresa. Mesmo abrindo 2a0 no placar, o alviverde cedeu o empate e por pouco não levou a virada no estádio do Pacaembu na noite de ontem. O jejum de vitórias botafoguenses chega a 7 jogos, mas esse empate fora de casa (e nas circunstâncias em que se deu) teve sabor de triunfo, como reconheceu o meia-atacante Edno na saída do gramado.

Depois de um primeiro tempo carente de grandes emoções, o jogo pegou fogo na etapa complementar, com quatro gols, defesas dos goleiros e expulsões.

O Palmeiras saiu na frente com 1 minuto do segundo tempo, quando Marcos Assunção cobrou falta com precisão, perto do ângulo esquerdo, numa bola que ainda foi resvalada pelo goleiro Jéfferson.

10 minutos depois, a equipe da casa encaixou contra-ataque certeiro que chegou aos pés do atacante Kléber: o camisa 30 foi ágil para não permitir o combate de Fahel e chutou no canto direito para ampliar a diferença no placar.

O jogo parecia resolvido, até porque o Botafogo não mostrava grande inspiração para melhorar sua situação, a não ser pelas boas jogadas individuais de Jóbson. Mas Joel Santana, com a desvantagem de 2a0, resolveu mexer, colocando Edno no lugar de Fahel. Pouco depois, entrou Renato Cajá na vaga de Lúcio Flávio.

As substituições surtiram efeito e o grande destaque para garantir a reviravolta no placar foi o lateral esquerdo Marcelo Cordeiro. Aos 24 minutos, Cordeiro lançou na área com cruzamento da esquerda, Jóbson se antecipou e cabeceou bonito, de costas pro gol, superando o goleiro Marcos.

Jóbson, acompanhado de Somália e Caio, ergue os braços aos céus e agradece: no retorno como titular, o jovem jogador voltou a balançar a rede.

9 minutos mais tarde, o camisa 6 alvinegro deu outro cruzamento preciso e quem cabeceou para a rede dessa vez foi o zagueiro Antônio Carlos, deixando tudo igual no placar e mostrando a eficiência de uma jogada que ficou como marca registrada da equipe de Joel nessa temporada.

Nos minutos finais, era evidente que o Palmeiras sentia o impacto dos gols sofridos. Jóbson atormentava o sistema defensivo da equipe com jogadas desconcertantes. Numa dessas, nos acréscimos, Edinho perdeu a cabeça e foi em direção ao jogador botafoguense, que se afastou do agressor. Marcos Assunção conseguiu agir ainda pior que o companheiro e deu um tapa em Jóbson, que mexia os braços com o provável intuito de se desvencilhar da deslealdade palmeirense. O árbitro mineiro Alício Pena Júnior, que poderia expulsar os dois jogadores de camisa fluorescente envolvidos na provocação, decidiu dar cartão vermelho para Assunção e também para Jóbson. Era o típico desfecho que ninguém queria ver, mas os ânimos se acalmaram e os jogadores deixaram o campo sem maiores transtornos.

Outro jogo

No estádio Brinco de Ouro da Princesa, Guarani e Ceará fizeram um primeiro tempo de pouco futebol, com as escassas chances de gol saindo de jogadas aéreas ou em chutes de longe. Na segunda etapa, um chute de longe muito bem dado por Ernandes abriu a contagem para os visitantes aos 7 minutos. Mas a jogada aérea do Bugre deu resultado aos 28 e Ricardo Xavier cabeceou após levantamento de Baiano para deixar tudo igual no placar.

A equipe da casa se animou e poderia ter virado o jogo, mas Mazola não aproveitou uma chance clara aos 42 minutos, chutando na rede pelo lado de fora.

O Ceará fecha a 10ª rodada na 3ª colocação enquanto o Guarani é a equipe de saldo negativo mais bem-sucedida no torneio, aparecendo em 8º lugar.

Fluminense Vence E Alcança A Liderança

Se na semana passada, no mesmo Maracanã, o Fluminense dominou as ações e não conseguiu a vitória sobre o Grêmio Prudente, dessa vez a equipe foi envolvida pelo Cruzeiro mas acabou conseguindo o resultado que o coloca na liderança da Série A 2010. O próprio treinador Muricy Ramalho reconheceu a superioridade dos comandados de Cuca, afirmando que "o time adversário nos dominou no setor de meio-campo".

A partida, antes do início, já ganhou uma atmosfera especial: em gratidão pela inesquecível campanha que salvou a equipe do rebaixamento no ano passado, os torcedores tricolores ecoaram o grito de "olê, olê, olê, olá... Cuca, Cuca!". O técnico agradeceu e reconheceu que tratava-se de um momento especial e pouco comum no meio futebolístico.

Fred, capitão tricolor, e Cuca, comandante celeste, se saúdam antes da bola rolar, no reencontro de uma parceria que deu muitas alegrias ao Fluminense. Após o jogo, o presidente Roberto Horcades também mostrou carinho pelo técnico.

Com bola rolando, o Cruzeiro parecia estar jogando no Mineirão: trocava passes com objetividade no campo de ataque, sufocava o Fluminense, criava oportunidades. Porém, esbarrava na boa atuação do goleiro Fernando Henrique ou na falta de pontaria dos próprios jogadores. Após o apito final da primeira etapa, Fred foi perguntado por um repórter sobre o que achou dos 45 minutos iniciais e respondeu com franqueza: "vocês viram o que aconteceu, nós fomos dominados pelo Cruzeiro".

Na volta para o segundo tempo, o desenho do jogo esboçava se repetir, com Wellington Paulista e Thiago Ribeiro tendo boas chances de abrir o placar a favor dos visitantes. Mas, aos 8 minutos, veio o gol tricolor: em cobrança de escanteio pelo lado esquerdo, Leandro Euzébio subiu e cabeceou no canto direito para estufar a rede de Fábio.

Muricy decidiu recuar ainda mais a equipe para tentar conservar o resultado e o Cruzeiro, que já parecia em casa, ficou com volume de jogo muito maior. Porém, mesmo sob intensa pressão, o "time de guerreiros" (apelido dado pela torcida tricolor durante a passagem de Cuca pelo clube) fez jus à alcunha e resistiu às investidas adversárias, garantindo a vitória e chegando à liderança da competição, para alegria de mais de 28.000 pagantes.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Grêmio E Vasco Empatam Na Piscina Olímpica

Chuteira e calção poderiam ter sido trocados por pé-de-pato e sunga nessa noite de quarta-feira, no estádio Olímpico. Sob um dilúvio incessante e um gramado empoçado, Grêmio e Vasco acabaram empatando a partida e permanecendo na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro 2010.

Os gols do jogo saíram no início: no 6º minuto, bola parada levantada na área gremista, Nunes deu leve desvio e a bola ganhou velocidade ao bater em Fábio Rochemback, passando por baixo do corpo do goleiro Victor.

3 minutos depois, Jonas recebeu na meia-lua e agiu rapidamente ao girar o corpo já finalizando, num chute preciso que rumou para o quadrante 5, sem qualquer possibilidade de defesa para o goleiro Fernando Prass.

A partida tinha diversos lances de perigo e o principal motivo era a condição meteorológica: o percurso da bola era imprevisível e as defesas viam-se constantemente sendo enganadas. Mas os atacantes não conseguiam converter e o jogo seguiu em 1a1 para o intervalo.

Na segunda etapa a partida despencou de rendimento, com ambas as equipes buscando tabela no método do futebol de areia: levantadinha na bola e batida com o peito do pé. Os jogadores que se arriscavam a conduzir a bola eram na maioria das vezes desarmados pelas poças no gramado.

O jogo foi ter um novo momento de emoção aos 44 minutos, quando Borges chegou antes de Fernando Prass numa bola que boiava na grande área, tirou do goleiro fintando para o lado esquerdo e chutou pro gol: a redonda bateu na trave direita após ser desviada no braço direito do zagueiro Titi, em penalidade máxima não vista pelo árbitro Héber Roberto Lopes.

Outros jogos

O São Paulo segue sem vencer após o retorno da pausa pra Copa. Jogando no Morumbi, a equipe saiu na frente no primeiro minuto com gol de Washington (põe na conta de Fernandinho, autor da assistência) mas cedeu o empate aos 19', quando Ânderson Luís cabeceou pra rede. O Tricolor aparece em 12º, com 12 pontos, 1 ponto atrás do Prudente, 9º colocado e invicto nessa volta do recesso para o Mundial.

No Maracanã, o Flamengo, embalado por duas vitórias consecutivas, dava pinta de que conseguiria o terceiro triunfo por 1a0, gol de Diego Maurício (o primeiro dele como profissional). Mas, aos 28 minutos da segunda etapa, Gabriel cobrou uma falta da intermediária aliando força e precisão, superando o goleiro Marcelo Lomba e deixando tudo igual. O Fla sai do G4 e o Avaí, equipe destaque da semana passada, fica na 7ª colocação.

No estádio Joaquim Henrique Nogueira, em Sete Lagoas, o Internacional tornou-se o único visitante a vencer nesses sete jogos de hoje válidos pela 10ª rodada. O Atlético Mineiro saiu na frente com gol de Diego Souza, mas Alecsandro marcou duas vezes e decretou a virada colorada. Em 3 jogos oficiais sob o comando de Celso Roth, 3 vitórias da equipe alvirrubra, que chega ao G4. O Galo é o vice-lanterna da competição.

No estádio Manoel Barradas, vulgo Barradão, o Vitória da Bahia correu atrás do prejuízo e foi buscar um empate de 2a2. Rafael Moura fez o primeiro do Goiás e deu lindo passe para Éverton Santos cabecear e ampliar a vantagem visitante. Com um gol de Ricardo Conceição no final do primeiro tempo e outro de Soares no final da etapa complementar, o rubro-negro conseguiu somar um ponto. Lamentavelmente, um desentendimento entre o treinador esmeraldino Emerson Leão e um jornalista acabou desencadeando um tumulto, onde Rafael Moura foi flagrado socando um repórter. Após a confusão, Leão, Romerito, Marcão e Rafael Moura foram conduzidos à 10ª Delegacia de Polícia de Salvador.

A boa presença dos atleticanos na Arena da Baixada impulsionou o time da casa para a vitória frente ao Santos, 2a0, dois gols de Bruno Mineiro. Paulo Baier participou ambas as vezes, batendo escanteio no lance do 1º gol e cobrando falta na jogada que deu origem ao 2º. Foi a primeira vitória do Atlético Paranaense no retorno da pausa pra Copa e a 3ª derrota dos comandados de Dorival Júnior: o CAP sai da zona de rebaixamento enquanto o Santos se afasta da zona de Libertadores.

O placar mais surpreendente ficou por conta do duelo no estádio Serra Dourada. De um lado, o lanterna Atlético Goianiense. De outro, o líder Corinthians. Cobrando pênalti, Róbston fez 1a0 para a equipe da casa, aos 20 minutos. 12 minutos depois, Bruno César lançou pra área, Danilo escorou e Iarley completou pro gol, empatando o jogo. Aos 22 minutos da segunda etapa, Pedro Paulo deu belo chute para recolocar os atleticanos na frente. Eis que o Corinthians tem nova chance de empatar o jogo, mas, pela segunda rodada seguida, Chicão desperdiçou uma cobrança de pênalti, dessa vez parando em defesa do goleiro Márcio. O castigo veio aos 34', com Marcão marcando o 3º e garantindo a vitória que derrubou o último invicto da Série A 2010. As equipes seguem nos extremos opostos da tabela.

Figueira E Ramalhão De Primeira Divisão

Que jogaço de futebol tivemos ontem no Orlando Scarpelli! Certamente uma das melhores partidas entre clubes no ano de 2010, com um segundo tempo eletrizante. De quebra, quatro belos gols foram marcados nesse empate por 2a2, com direito a uma senhora atuação do meio-campo Maicon, vestindo a camisa 8 da equipe catarinense. O resultado leva o Figueirense para a liderança da Série B 2010, mas podendo ser ultrapassado ainda nessa rodada por Náutico e/ou Coritiba, que jogam em casa no próximo sábado.

O placar foi inaugurado aos 20 minutos de jogo, com cobrança de falta certeira de Lucas, sem chance de defesa para Júlio César. O empate veio aos 41', quando Ânderson Gomes recebeu de Xuxa, limpou o lance e chutou com precisão para superar Wilson, goleiro que carregava na camisa o número 200, em referência à quantidade de partidas realizadas pelo Figueirense (marca atingida no jogo diante do Vila Nova). Wilson havia, anteriormente, realizado pelo menos duas defesas difíceis.

Na segunda etapa, Wilson já foi convidado a trabalhar logo no início, impedindo, no reflexo, que Ânderson Costa encontrasse a rede. Na marca de 9 minutos, uma linda jogada de Maicon: o jogador recebeu próximo da grande área, escapou de dois adversários com dribles curtos e deu um tapa na bola, encobrindo Júlio César mas carimbando caprichosamente o travessão.

No minuto seguinte, o técnico Márcio Goiano trocou o meia Roberto Firmino pelo atacante Tássio. 12 minutos mais tarde e a equipe do Figueirense ficava ainda mais ofensiva com a segunda mexida de Márcio Goiano: Fernandes por João Paulo.

A proposta de jogo foi recompensada. Aos 21 minutos, Maicon deu enfiada de bola com uma cavadinha deslumbrante para Willian, que manteve a beleza da jogada e finalizou emendando de forma precisa: golaço.

Sérgio Soares resolveu mudar as coisas no Santo André e trocou Sandro Hiroshi por Pio. E sairia dos pés de Pio o gol de empate: o jogador de 24 anos tentou de fora da área e acertou bonito chute, no ângulo, aos 36 minutos. Pouco antes, o Figueira havia mandado na trave o que poderia ter sido a bola que definiria os três pontos.

Nos minutos restantes, o Ramalhão conseguiu resistir à pressão da equipe da casa e retornar ao ABC Paulista com um ponto conquistado. Foi o 1º empate do Figueirense em seus domínios (tinha 3 vitórias em 4 jogos anteriores) e também o 1º empate do Santo André fora de casa (2 vitórias em 5 jogos até então).

Não fiquemos iludidos com a modesta 14ª colocação do Santo André nesse momento: o vice-campeão paulista perdeu 13 jogadores e vai fazendo um trabalho de reformulação que merece atenção, dando sinais de que pode se erguer na tabela.

Outro jogo

No estádio Elmo Serejo Farias, vulgo Serejão, o Brasiliense recebeu o Paraná e deu sinais de ter assimilado bem a contundente derrota da semana passada, quando levou de 6a1 do ASA. Com a vitória da equipe da casa por 3a0 (gols de Santiago, Jean e William), a equipe chega à 10ª colocação na tabela e zera o saldo de gols. Já o Paraná segue despencando após o período de pausa pra Copa: de lá pra cá, a equipe empatou uma e perdeu duas vezes (ambas por 3a0), ocupando atualmente a 6ª posição.

O que mais chamou a atenção na partida em Taguatinga, porém, foi o uniforme do Brasiliense: a camisa da equipe mais remetia ao carnaval do que a qualquer outra coisa, num estilo um tanto arrojado em se tratando de vestimentas para um clube de futebol.

Jogadores comemoram um dos gols da goleada por 3a0 sobre o Paraná, vestindo uniforme comemorativo ao Dia do Rock. Uhu!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Arrombaram A Janela

Eis que mudaram as regras do jogo. O que é pior: com o jogo em andamento.

A janela de transferências referente às contratações de jogadores vindos do exterior foi antecipada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), sob um argumento de que "ano de Copa do Mundo é atípico". Será que o senhor Ricardo Teixeira, presidente ad eternum da CBF, não sabia que nesse ano seria disputado um Mundial? Talvez não, que o diga a nomeação de Dunga para treinador (?)...

O fato é que, com essa antecipação, alguns clubes se beneficiaram. Muito se fala do Internacional, cujo vice-presidente, Fernando Carvalho, assumiu liderar o movimento que reivindicava uma mudança no regulamento com relação às transferências. Mas a lista que segue, extraída de NovoHamburgo.Org, demonstra que outras equipes também tirarão proveito dessa medida. O Inter talvez chame mais a atenção pois conseguiu reforços de maior impacto, o que é mérito de seus dirigentes. Ou será que a questão tem algo a ver com o ano de 2005? Naquela ocasião, o Corinthians sagrou-se campeão contando com anulação de jogos e com uma arbitragem um tanto amigável no confronto direto que acabou valendo o título. Contra quem? O colorado...

Lista com os clubes da Série A atualmente beneficiados pela antecipação da janela de transferências.

Atlético Goianiense

Ninguém

Atlético Mineiro

Edison Mendez (meia) – LDU, do Equador
Daniel Carvalho (meia) – CSKA, da Rússia
Réver (zagueiro) – Wolfsburg, da Alemanha

Atlético Paranaense

Ivan González (meia) – Cerro Porteño, do Paraguai
Olberdam (volante) – Braga, de Portugal
Anderson Aquino (atacante) – Olimpi Rustav, da Geórgia
Alex Fraga (zagueiro) – Olimpi Rustav, da Geórgia
Gustavo (zagueiro) – Vitória de Guimarães, de Portugal
Guerrón (atacante) – Getafe, da Espanha
Frederico Nieto (atacante) – Colón, da Argentina

Avaí

Ninguém

Botafogo

Ninguém

Ceará

Ninguém

Corinthians

Bobadilla (goleiro) – Independiente de Medellín, da Colômbia
Gilmar (atacante) – Guingamp, da França
Cruzeiro

Edcarlos (zagueiro) – Cruz Azul, do México
Walter Montillo (meia) – Universidad de Chile

Flamengo

Val Baiano (atacante) – Monterrey, do México

Fluminense

Emerson Sheik (atacante) – Al-Ain, dos Emirados Árabes
Belletti (lateral) – Chelsea, Inglaterra

Goiás

Pedrão (atacante) – Al-Shabab, dos Emirados Árabes

Grêmio

Ninguém

Grêmio Prudente

Ninguém

Guarani

Ninguém

Internacional

Rafael Sóbis (atacante), Al Jazira, dos Emirados Árabes Unidos
Renan (goleiro), Valência, da Espanha
Tinga (volante), Borussia Dortmund, da Alemanha
Leonardo (lateral), Olympiakos, da Grécia

Palmeiras

Ninguém

Santos

Keirrison (atacante) – Barcelona, da Espanha
Tiago Luís (atacante) – União Leiria, de Portugal

São Paulo

Ninguém

Vasco

Irrazábal – (lateral), Cerro Porteño, do Paraguai
Fellipe Bastos – (volante), Benfica, do Portugal
Felipe – (meia), Al-Saad, do Qatar
Zé Roberto – (meia), Schalke 04, da Alemanha
Carlos Alberto – (meia), Werder Bremen, da Alemanha
Éder Luis – (atacante), Benfica, de Portugal

Vitória

Ninguém

A lista poderia ser maior, mas há casos como o de Maicosuel (Botafogo, ex-Hoffenheim) que não teve a documentação agilizada para atuar na 10ª rodada. Os flamenguistas também podem contestar a inclusão do nome de Val Baiano na lista, mas o atleta não atuará por questões físicas, já que a parte que tange aos documentos já consta como resolvida.

Rafael Sóbis, Keirrison, Felipe e Belletti são alguns dos nomes de destaque dessa (antecipada) janela de transferências.

Já dizia (cantava) Gilberto Gil:

Por isso eu vou na casa dela, ai, ai
Falar do meu amor pra ela, vai
Tá me esperando na janela, ai, ai
Não sei se vou me segurar
Com a janela aberta, fica mais fácil para a luz penetrar.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Equipe E Jogada Da Semana

Primeiro, tivemos no Morumbi "a noite de Roberto", que com uma atuação decisiva ajudou o Avaí a surpreender o São Paulo com uma vitória por 2a1. Quatro dias depois, no domingo, a equipe catarinense recebeu o Palmeiras no estádio da Ressacada. Um Palmeiras embalado pela vinda de Luiz Felipe Scolari e pela recente vitória no clássico com o Santos. Mas os comandados de Antônio Lopes nem tomaram conhecimento do adversário e venceram por 4a2, com Caio e Roberto se destacando no novo triunfo pós-Copa do Mundo. Com as duas vitórias seguidas - ambas contra clubes candidatos ao título brasileiro nessa temporada - o Avaí sobe para a 6ª colocação na classificação. Ano passado, mais ou menos nessa altura do campeonato, esse clube experimentou uma arrancada fantástica, saindo da lanterna para as primeiras posições da tabela (veja comparativo). Dessa vez, longe da zona de rebaixamento, uma nova subida naquelas proporções levaria o time às alturas. Serão capazes de manter o ritmo? Só o tempo dirá. Mas a semana foi maravilhosa para eles.

Jogada da semana

Se a Copa do Mundo 2010 reservou grandes jogadas e lindos gols aos amantes do futebol, não podemos dizer o mesmo dessas duas rodadas do Campeonato Brasileiro. Houve uma ou outra coisa mais interessante, mas a jogada que destoou das demais aconteceu na Vila Belmiro, ontem, no jogo em que o Santos perdeu para o Fluminense por 1a0. Mas calma: a jogada a qual esse blógui se refere não é a do gol da partida, marcado por Alan após grande enfiada de bola de Mariano.

Aos 39 minutos da segunda etapa, Arouca arrancou do campo de defesa fazendo maravilhosa jogada individual e passou para Robinho. Dos pés dele a bola foi até Paulo Henrique Ganso, que abriu bonito na direita para Zé Eduardo - o chute cruzado acabou virando um cruzamento rasteiro, mas Robinho desviou a bola para a trave, não conseguindo mandá-la pro gol. Mero detalhe. Mas uma linda jogada, que vale ser vista novamente. Caso o(a) leitor(a) saiba de algum línqui com o lance, diga-nos que teremos o prazer de aqui colocá-lo. A jogada na íntegra pode ser vista no vídeo de melhores momentos da partida fornecido pela ESPN Brasil. Está no final do vídeo, aguarde que a recompensa é boa.

domingo, 18 de julho de 2010

Empatados No Placar E Na Falta De Criatividade

5.522 pessoas pagaram para ver e dificilmente 1% tenha gostado do que viu no Engenhão na noite de hoje. Uma arbitragem que beneficiava o infrator e tomava decisões suspeitas; um Botafogo carente de um homem de referência na área (a ausência de Loco Abreu, que ainda não jogou após o término da Copa, mostrou-se bastante sentida) e um Guarani que, se fosse um pouco mais caprichoso, conseguiria um resultado ainda melhor que o ponto ganho fora de casa.

Joel Santana levou 2 zagueiros e 3 volantes, sobrecarregando a criação de jogadas para um lento e previsível Lúcio Flávio. As jogadas pelas laterais também não surtiam efeito, pois Alessandro e Marcelo Cordeiro mostravam ineficácia para colocar a bola na área. Restava à dupla de ataque "brigar" com a defesa alviverde, que quando não levava vantagem, contava com o goleiro Douglas para evitar o gol adversário. Começando a gostar do jogo, o Guarani passou a criar situações, como no chute de Mazola, aos 17 minutos, que passou perto da trave direita. Teve também uma chance ainda mais clara, aos 23', quando Preto apareceu cara-a-cara com o goleiro Jéfferson e chutou para grande defesa do camisa 1 alvinegro. Com 40 minutos, saiu o gol do Guarani: Caio perdeu a posse de bola, Paulo Roberto passou para Mário Lúcio, que tocou para Mazola: o atacante se livrou da Danny Moraes e serviu Ricardo Xavier, que completou pra rede.

A já impaciente torcida do Botafogo passou a vaiar qualquer jogador de camisa listrada que tocasse na bola. Mas, no último lance da primeira etapa, veio o empate: Lúcio Flávio cobrou escanteio pelo lado direito e Danny Moraes cabeceou para igualar o marcador.

No intervalo, Joel trocou Fahel por Jóbson, sugerindo uma nova dinâmica para a equipe da casa. E não deu outra: o camisa 18 era o jogador mais acionado e dava muito trabalho para o sistema defensivo bugrino.

Aos 11 minutos, alguns torcedores gritaram gol quando viram a finalização de Jóbson, mas a bola estufou a rede pelo lado de fora. Vágner Mancini resolveu mexer exatamente no setor direito, a zona mais incomodada pelas investidas de Jóbson, trocando, no minuto seguinte ao lance, Rodrigo Heffner por Apodi.

Com 21 minutos, Joel mexeu pela segunda vez e trocou Lúcio Flávio por Edno. O Botafogo passou a intensificar a procura pelos flancos, mas esbarrava ora na marcação do Guarani, ora na própria falta de criatividade, ora na omissão da arbitragem. Um dos lances que mais revoltaram os alvinegros aconteceu quando Jóbson partiu para cima da marcação e foi derrubado dentro da área: o árbitro catarinense Célio Amorim marcou falta e ignorou o protesto dos jogadores que apontavam para o local de ocorrência da infração, que caracterizaria pênalti.

Na marca de 39 minutos, Herrera fez a função de pivô e serviu Somália, que avançou, ficou de frente pro gol mas acabou mandando sobre o travessão. No finalzinho rolou o que seria o gol da virada, mas Herrera foi flagrado em impedimento após cruzamento rasteiro de Marcelo Cordeiro.

O Guarani leva um ponto na bagagem para Campinas, onde enfrentará o Ceará pela décima rodada. O Botafogo, há seis jogos sem vencer, vai ao Pacaembu encarar o Palmeiras.

COMPARATIVO BRASILEIRÕES 2009 - 2010

Como foi dito no comentário do jogo Corinthians 1 x 0 Atlético MG, tem muito jogador e muito torcedor achando que o Brasileiro ainda mal começou e que muita coisa pode acontecer.

Pensando nisso, preparei um comparativo entre a colocação dos times do Brasileiro do Ano passado , exatamente na 9ª rodada, e a classificação em que ele terminou o campeonato.

Por isso, abre o olho torcedor, pois as vezes o que está acontecendo é um prelúdio do restante do campeonato, e não uma história que pode ser facilmente revertida.

Observe

Brasileirão 2009

Time ---------------------9ª Rodada -------------Classificação Final

Internacional ........................1º........................ 2º

Atlético MG ..........................2º.........................7º

Vitória ...................................3º........................11º

Palmeiras..............................4º........................5º

Corinthians...........................5º.......................10º

Flamengo..............................6º.........................1º

Barueri..................................7º.........................11º

Goiás.....................................8º............................9º

Santos...................................9º............................12º

Grêmio ...............................10º............................8º

Santo André........................11º............................18º

Coritiba................................12º.............................17º

Cruzeiro...............................13º.............................4º

São Paulo.............................14º..............................3º

Fluminense..........................15º............................16º

Sport.....................................16º...........................20º

Náutico..................................17º.............................19º

Atlético PR ...........................18º..............................14º

Botafogo................................19º...............................15º

Avaí.......................................20º..............................6º


Traduzindo :
Os 4 rebaixados estavam entre os 9 últimos colocados já na 9ª rodada.

Os únicos grandes saltos na tabela foram de São Paulo, Cruzeiro e Avaí, que saíram de posições ruim e ficaram entre os 6 primeiros.

Leve em conta que São Paulo e Cruzeiro guerreavam na Libertadores, e tinham belos elencos, não dando a atenção necessária para o Brasileiro até aí. E o Avaí conseguiu uma sequência de vitórias histórica e totalmente improvável.

7 times que estavam entre os 10 últimos colocados, terminaram o campeonato entre os 10 últimos colocados. Apenas os 3 citados acima saíram.

Por isso, torcedor, fique de olho se seu time anda meio por baixo da tabela. A recuperação as vezes não é algo tão fácil assim no Brasileiro.


E pra você se situar, vai a classificação atualizada do Brasileirão 2010.


1º Corinthians - 21

2º Fluminense - 19

3º Ceará - 18

4º Flamengo - 15

5º Cruzeiro - 15

6º Avaí - 14

7º Internacional - 13

8º Guarani - 13

9º Santos - 12

10º Vitória - 12

11º Atlético PR - 12

12º Prudente - 12

13º São Paulo - 11

14º Goiás - 11

15º Botafogo - 10

16º Grêmio - 9

17º Vasco - 9

18º Atlético MG - 9

19 º Atlético PR - 9

20 º Atlético GO - 4

CORINTHIANS 1 X 0 ATLÉTICO MG - Aula de administração


Na última quarta esse blog avisou, olho no Bruno César. Foi uma bela contratação corinthiana pra sequência da temporada. Tanto é que deixou o seu nessa tarde de domingo. Foi pouco para o líder do campeonato, mas foi o suficiente pra administrar a ponta, aproveitar a esperada derrota cearense frente o Inter, e secar o Flu que jogaria mais tarde com a oportunidade de se distanciar de vez dos concorrentes. E se a missão era administrar , foi bem realizada. Administrou o placar, administrou o jogo, administrou a baixa atuação atleticana e administrou a ponta do campeonato.
E administrou o fato de Fábio Costa já ter esgotado seus créditos com a torcida mineira nos últimos 2 jogos. Pois ainda não acredito no fato da bola, mesmo desviada ser "impegável". Fraca e no meio do gol como foi, sendo que o goleiro nem se atirou tanto para o canto? Fábio Costa, Fábio Costa...

Segue firme o Corinthians em sua caminhada ao desejado título.

O Atlético está na zona de rebaixamento. E não é mais hora de falar que o campeonato está no começo hein....

1/4 do Brasileirão já foi.....

Quem não se situar agora, vai ficar se segurando pra não ser sugado pra baixo.

AVAÍ 4X2 PALMEIRAS - Caio e Roberto comandam a festa na Ressacada


Ao encerrar o jogo no Estádio da Ressacada, o atacante do Avaí, Roberto foi entrevistado e disse com extrema sinceridade: "É a melhor fase da minha vida. Preciso aproveitar".


Definição perfeita. Ninguém se destacou tanto neste retorno do Brasileiro como o camisa catarinense. Já mostrou que não é jogador de jogo pequeno. Gosta de aprontar com time grande, mérito de poucos jogadores hoje em dia.

E é incrível. Atropelou o São Paulo na quarta e hoje mandou bola no travessão, driblou, deu o passe pra Robinho embaixo do gol fazer 2x1 para o Avaí, deu arrancadas puxando perigosos contra-ataques, sofreu o Pênalti que originou o terceiro gol, e fez o quarto. Pouco hein?
Mas quase que não seria o melhor em campo, pois seu companheiro Caio marcou mais 2 gols pro time catarinense e infernizou a defesa palmeirense.

Do outro lado, ainda estou me esforçando pra ver o replay dos melhores momentos, e vendo se em algum deles aparece Éwerthon. Poucas vezes vi um jogador tão apagado em campo. Se relou na bola, foi de uma produtividade nula.

Kléber mais uma vez brigador. E dessa vez mostrou que pode ser um novo Kléber. Pois apanhou o jogo todo. Sofreu ao todo 10 faltas, algumas delas duríssimas, mas manteve a cabeça no lugar. No único momento que esquentou, deu sorte por seu braço no corpo de Caio ser interpretado por Gaciba como uma jogada normal. Mas ainda dá pra ver que a forma do atacante palmeirense não é a ideal. Quando enxugava o rosto com a camisa deixava escapar uma barriguinha que precisa sumir ainda. E nem comentarei o gol perdido absurdo no primeiro tempo, salvo por Patric em cima da linha.

Felipão fez o que pode, em determinado momento no jogo o verdão estava com Kléber, Éwerthon, Tadeu e Vinícius : 4 atacantes. Mas não adiantou.

Não termino sem esquecer que o torcedor palmeirense matou a saudade do valente Marcinho Guerreiro. Ainda bate um pouco, mas mostrou uma raça e liderança nessa tarde de domingo que foi de impressionar.
O Avaí em 2 jogos contra paulistas marca 6 pontos. Merece ser visto bem mais de perto. Mas bem mais de perto. De repente aparece um time muito gostoso de se ver jogar no campeonato.

O Palmeiras? Permanece uma incógnita. Não pode ter jogadores brilhando em um jogo e desaparecidos em outro. E não falo só de Éwerthon. Deola também foi muito mal. Pierre totalmente perdido em campo. Precisa melhorar muito pra dizer que voltou pra valer.

Mas o campeonato agradece o belo jogo em Santa Catarina.




sábado, 17 de julho de 2010

Vasco Vence Em Jogo Com Mais Polêmica Do Que Futebol

Diante de apenas 4.530 pagantes, o Vasco da Gama venceu o Atlético por 3a1 e trocou de posição com o adversário, mantendo-se na zona de rebaixamento. A vitória foi tranqüila, mas marcada por escolhas polêmicas do árbitro pernambucano Nielson Dias: todas as opções duvidosas do juíz da partida beneficiaram a equipe da casa.

O jogo

A fina chuva que molhava o gramado de São Januário encorajava os jogadores a tentarem chutes de média-distância. Num deles, Jonathan arriscou da meia-lua, a bola quicou antes de chegar ao goleiro Neto e foi parar dentro do gol: 1a0 Vasco, aos 19 minutos.

5 minutos depois, Jonathan e Eli Sabiá disputavam espaço dentro da área e, após o braço do zagueiro surgir obstruindo a passagem do atacante, foi marcada penalidade máxima e mostrado cartão amarelo para o atleticano. Nunes foi para a cobrança e mandou no quadrante 12, com Neto deslocando-se para o lado esquerdo.

A situação da equipe visitante ficou definitivamente complicada aos 30': Chico foi dividir com Rômulo no meio-campo, deslizou no gramado molhado, o vascaíno caiu e o árbitro mostrou o cartão vermelho diretamente, deixando o Atlético com 10 jogadores. 6 minutos depois, Eli Sabiá não concordou com uma marcação do juíz e mostrou sua insatisfação jogando a bola contra o chão: recebeu o segundo amarelo e também foi expulso.

O Vasco quase ampliou aos 39', mas Neto conseguiu espalmar o chute venenoso de Carlinhos. Nos instantes finais da primeira etapa, um alento para o Furacão: após cobrança de escanteio pelo lado esquerdo, Nílton furou a tentativa de afastar e Bruno Mineiro não desperdiçou a oportunidade, descontando para 2a1.

No intervalo, PC Gusmão promoveu uma troca e PC Carpegiani duas: saíram Nílton, Paulo Baier e Branquinho para as entradas de Léo Gago, Deivid e Maikon Leite.

E quem efetivamente faria diferença seria Léo Gago, que entrou querendo mostrar serviço. Aos 3 minutos, um chute de fora da área carimbou o travessão. Mais tarde, nova tentativa e o chute saiu por cima. Aos 17' não teve erro: Gago mandou um chute rasteiro e acertou o canto esquerdo para fazer 3a1.

Se o Atlético estava atônito dentro de campo, fora dele não era muito diferente: Carpegiani optou por tirar Maikon Leite e colocar o zagueiro Bruno Costa, temendo provavelmente um placar mais elástico. Sem incomodar Fernando Prass em momento algum, o clube paranaense simplesmente se mantinha no campo de defesa - como o Vasco também não demonstrava muita inspiração, o placar de 3a1 se confirmou, levando o cruzmaltino à sua segunda vitória na competição. O Furacão somou a segunda derrota em dois jogos pós-Copa, tornando delicada a situação do treinador.

PCs Duelam Buscando Upgrade

Vasco e Atlético Paranaense fazem hoje, às 18:30h, no estádio São Januário, o único jogo da rodada entre duas equipes integrantes da zona de rebaixamento. Ambos os clubes jogam pela vitória para poderem deixar essa parte desagradável da tabela de classificação, até porque um empate nessa partida manteria os dois times por ali.

Paulo César Gusmão, invicto no Brasileiro (antes de estrear no empate sem gol diante do Goiás, havia deixado o Ceará com 5 vitórias e 2 empates), tem uma única dúvida: o meio-campo Jéfferson, com dores no músculo adutor da coxa direita, pode dar lugar para Allan.

Paulo César Carpegiani terá como único desfalque certo o zagueiro Manoel, que teve sua punição disciplinar mantida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O substituto será Eli Sabiá.

Veja o esboço das equipes para a partida de logo mais.

VASCO: Fernando Prass; Fágner, Dedé, Titi e Ernani; Rafael Carioca, Nílton, Rômulo e Jéfferson (Allan); Jonathan e Nunes. Técnico: Paulo César Gusmão.

ATLÉTICO: Neto; Wágner Diniz, Rhodolfo, Eli Sabiá e Jean; Chico, Vítor (Fransérgio), Paulinho e Paulo Baier; Bruno Mineiro e Alex Mineiro. Técnico: Paulo César Carpegiani.

Para quem acredita em retrospecto, o Clube da Colina é franco favorito: nas 10 vezes que Vasco e Atlético se enfrentaram no Rio de Janeiro, foram 8 vitórias cruz-maltinas e 2 empates.


Vasco e Atlético encontram-se na zona de rebaixamento e com possibilidades de terminarem a rodada na lanterna da competição.

ASA, Ramalhão E Bahia Goleiam; Coxa Lidera

4 jogos foram realizados na noite dessa sexta-feira, abrindo a 9ª rodada da Série B brasileira.

Os três triunfos das equipes mandantes foram todos de goleada, sendo a mais contundente delas o 6a1 do ASA pra cima do Brasiliense. A equipe alagoana, agora com o ataque mais positivo da competição (19), assume a 11ª posição e deixa o clube da capital imediatamente atrás.

Enquanto isso, no estádio Bruno José Daniel, em Santo André, a equipe local conseguiu se reabilitar da derrota por 3a2 para o São Caetano, rodada passada, e aplicou um 4a1 no Duque de Caxias. O Ramalhão respira mais aliviado em relação à zona de descenso, abrindo 4 pontos do atual 17º colocado (justamente a equipe duquecaxiense).

Já o Tricolor Baiano superou o São Caetano por 3a0, chegando à 5ª vitória e dormindo na zona de acesso para a Série A. O Azulão cai provisoriamente para o 7º lugar, mas está a apenas um ponto do agora 4º colocado.

O único visitante bem-sucedido foi o Coritiba, do técnico Ney Franco. A equipe paranense foi ao estádio Machadão e superou o América de Natal por 2a1, voltando para casa com a liderança da competição. Porém, 5 equipes têm possibilidades de assumir a ponta ainda nessa rodada: Náutico, Figueirense, Paraná, América Mineiro e Guaratinguetá. O clube potiguar, por sua vez, segue na zona de rebaixamento, em 18º lugar, com 6 pontos e uma única vitória.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Palmeiras 2 x 1 Santos - Sob as ordens do novo "chefe"


Chefe novo no trabalho. Hora de mostrar serviço. Todo mundo sabe que é assim que funciona. Inclusive no Palmeiras. Que jogador não queria ser treinado por Felipão? Com essa motivação redobrada de estar sob os olhos de um ídolo mundial, o Verdão encarou o Peixe na noite desta quinta no Pacaembu.


E o novo comandante chegou discretamente, não houve a "apresentação para a torcida" no gramado do Pacaembú. Até por que a torcida parece ter esquecido que em dia de clássico em São Paulo, as bilheterias fecham 4 horas antes do jogo. Resultado...8 mil pagantes.


Alguns acenos e direto pra tribuna. Hora de guiar seu fiel escudeiro Murtosa pra enfrentar o melhor time do Brasil na atualidade.


Ou será o melhor time do Brasil há alguns meses atrás? Porque o Santos está em sinal amarelo. Neymar vem decadente a cada jogo. Se não fosse o cartão amarelo que tomou, Dorival Jr. não teria outra desculpa e teria que falar a verdade, substituiu o garoto santista porque estava nulo em campo. Ganso ainda vem recuperando, mas deu sinais que não vai sofrer do mesmo mal.

André se esforçou, quase deixou o dele...atuação na sua média. Hoje o Santos não é o mesmo que voava antes da copa. E as próximas rodadas serão divisoras de águas na vila.


Enquanto isso no time palestrino, outras 2 estréias muito boas. Kléber brigou, até arriscou um driblezinho aqui e ali, protegeu a bola (como muitos acham algumas vezes de forma desleal, mas que há de se reconhecer....tem um jogo de corpo sensacional), e deu o passe para o primeiro gol, um chutaço de Éwerthon no ângulo esquerdo do gol santista.


E no segundo tempo, o garoto Tinga entrou com os nervos a flor da pele. Doido pra mostrar serviço não aceitou o tempo errado de bola em seu primeiro lance e tentou recuperar com um carrinho. Amarelo. Mas o jovem tem estrela. Não se intimidou e recebeu um passe no meio campo (novamente de Kléber), invadiu a área e chutou completamente torto.


Mas Edu Dracena que voltava acabou tocando na bola e empurrando pra sua meta. Como foi apenas um desvio, gol de Tinga.


A partir daí só restou ao verdão administrar. O que não fez muito bem. Marcel entrou no lugar de Neymar, marcou um golaço e deu uma vida pro Santos que ninguém acreditava. Uma pressão terrível aconteceu nos acréscimos. Até acontecer o lance que todo mundo viu a bola entrando, e quando percebeu ela foi pra fora. Foi em um cruzamento que não foi cortado por Deola e acabou batendo em Vítor. A bola tomou o rumo do gol palmeirense mas subiu milimetricamente para tocar no travessão e sair. Não teve um palmeirense que não prendeu a respiração.


E fim de jogo. O Palmeiras vence o Santos pela segunda vez no ano e dá um dos maiores saltos na tabela.


O Peixe que ainda foca a Copa do Brasil , e talvez possa ter isso como interferência em seu futebol "feijão com arroz", continua a trabalhar , mas não tem como tirar da cabeça a questão.....


Quantos jogadores sairão nas próximas semanas?

Bola Pune, Prudente Sorri

A equipe do Fluminense desperdiçou sua maior oportunidade de assumir a liderança da Série A do Campeonato Brasileiro, frustrando os mais de 24 mil pagantes na noite de ontem. Jogando melhor que o adversário, criando chances, sabendo se impôr dentro do Maracanã, abrindo 1a0 no placar, com tudo isso lhe sendo favorável, a equipe vacilou no final da partida e permitiu o empate dos visitantes.

O tricolor abriu o marcador com 16 minutos: Darío Conca cruzou da direita e Fred mostrou seu faro de gol ao cabecear no canto direito do goleiro Márcio. Antes e depois disso a equipe criava situações que colocavam a meta prudentina em risco, dando sinais de que a diferença poderia ser ampliada a qualquer momento. Porém, o placar da primeira etapa foi mesmo o 1a0, com Fred dizendo em entrevista que a equipe deveria ficar atenta pois o jogo não estava resolvido.

A declaração ganhou ares de profecia: no retorno para a segunda etapa, o Fluminense seguia superior mas simplesmente era incapaz de aumentar a contagem e decidir a partida. É clichê o pensamento de "quem não faz, leva". No jogo de ontem, nem foi o caso: se por um lado era nítido que o Flu dominava as ações, por outro era latente que faltava ser mais incisivo e arisco para merecer um 2º gol. O próprio técnico Muricy Ramalho costuma dizer que "a bola pune". E não deu outra: aos 38 minutos , Wesley arrancou pela esquerda, se livrou da marcação, viu uma avenida pela sua frente e não desperdiçou a maior oportunidade de gol do Grêmio Prudente na partida. Resultado final? 1a1. Os visitantes lucram um e os mandantes lamentam dois pontos.

O elenco sob o comando de Muricy receberá o lateral direito Juliano Belletti e o meia Deco, o que deve animar a torcida tricolor. Porém, dificilmente o Fluminense tenha outra chance como essa de terminar a rodada na liderança. Corinthianos e prudentinos agradecem.

Guarani 0 x 3 Internacional - Ensaiando pra Libertadores


Há 2 dias atrás comentei que muitos times no campeonato lamentavam muito a parada da Copa do Mundo. E o Guarani é o primeiro da lista.

O time vinha bem , alcançou uma fase que poucos apostavam. Conseguiu vitórias importantíssimas. Dava pinta que tinha embalado. Mas foi obrigado a parar.

E quando voltou deu no que deu. Completamente dominado pelo Internacional, que ainda não está com força máxima. O bugre depende muito de Mazzola, e quando ele é bem marcado e mesmo assim não está em uma noite brilhante, como já esteve por mais de uma vez nesse Brasileiro, o Guarani é praticamente todo anulado. Baiano também tem se destacado mas foi obrigado a recuar perante a ameaça de Kléber. E Baiano defensivamente não é o lateral dos sonhos.

E grande Inter, enquanto seu adversário na Libertadores perdeu pontos preciosos, com a cabeça toda na competição continental, foi até Campinas e atropelou os donos da casa, mostrando que não vai ficar correndo atrás de pontos perdidos por causa de outro torneio.

E lanço um desafio à imaginação do torcedor....e o que vai ser do Inter quando Rafael Sóbis, Tinga, e os outros reforços chegarem e engrenarem?

(É nesse momento que o torcedor do Inter que está lendo o Blog não consegue esconder um sorriso de orelha a orelha...)

Ceará 0 x 0 Corinthians - Batalha aérea no Castelão



Assistir Ceará 0 x 0 Corinthians foi como acordar de um bonito sonho chamado Copa do Mundo, onde o time campeão foi um time envolvente com toque de bola, jogadas rápidas utilizando do meio campo, com pouquíssimas jogadas aéreas, qualidade na armação e no passe; e de repente lembrar que a realidade do futebol ainda é outra.

Nada menos do que 47 cruzamentos no jogo, contando escanteios. Isso mesmo....47.

Isso não quer dizer que nao tenha sido um jogo cheio de lances interessantes, mas quer dizer que poderia ter sido bem melhor se não existisse no futebol uma carência absurda de meias armadores de qualidade e inteligência.

E seria melhor também se Defrederico aproveitasse a oportunidade que teve e jogasse o futebol que todo mundo espera. Nada ainda. O atacante vai caminhando devagar para ser mais uma decepção nas contratações sulamericanas feitas pelo timão nos últimos anos. Se não melhorar logo seu nível vai se juntar fácil a Sebastian Dominguez, Jhonny Herrera, Escudero e outras pérolas.

Mas o que tivemos de bom? Há de se elogiar a boa chegada de Bruno César no Corinthians. Com bons chutes, mostrou que tem a pontaria ajustada pra balançar muita rede pelo Brasil. Merece uma boa atenção dos adversários.

Os goleiros também tiveram boas atuações. Tanto Júlio César pelo Corinthians quanto Diego pelo Ceará souberam lidar com o bombardeio aéreo que cercou suas áreas. E ainda conteram excelentes chutes a média distância. Diego evitou um golaço de Bruno César aos 36 do primeiro tempo e Júlio César fez a defesa do jogo num belo chute de Misael, com aproximadamente 42 minutos do segundo tempo. Defesa idêntica, exatamente idêntica ao lance de Kaká defendido por Stekelenburg no jogo Brasil 1x2 Holanda na copa.


Outro destaque para o atacante Toni que entrou no segundo tempo e infernizou a defesa corinthiana. Com bons chutes e belos passes, criou muitas jogadas de ataque. Se não foi o melhor em campo foi o melhor do segundo tempo com certeza.


Criar muitas jogadas de ataque por jogadas aéreas não é exatamente o problema. O problema é quando elas tem boa direção mas acontecem lances como o de Ernandes, que perdeu o gol mais feito do jogo, embaixo da linha e sem goleiro, cabeceou com muita força para baixo. A bola quicou e saiu por cima do gol.


É bem provável que o Corinthians melhore com os retornos de Dentinho, Jorge Henrique e Ronaldo.


É bem provável que o Ceará melhore com Misael voltando a sua forma de velocista e Washington calibrando a pontaria novamente.


O fato é que o que se viu no Castelão na noite de quarta foi uma batalha pelo alto. Reflexo da realidade do nosso futebol atual, que por 31 dias foi esquecida, na esperança de que a qualidade dos dribles e dos passes desconcertantes volte a se destacar.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Reencontrando A Torcida, Fluminense Quer Ser Líder

Se nas 3 primeiras rodadas o Fluminense havia somado apenas 3 pontos (uma vitória e duas derrotas), nos 4 jogos posteriores conseguiu 4 vitórias consecutivas e, com 15 pontos, enfrenta hoje o Grêmio Prudente podendo terminar a 8ª rodada na liderança do Campeonato Brasileiro. Resta saber como se comportarão os comandados de Muricy Ramalho após esse recesso no período onde as atenções do planeta bola estavam voltadas para a África do Sul.

O Prudente, por sua vez, corre o risco de entrar na zona do rebaixamento: a equipe encontra-se apenas dois pontos na frente do Atlético Mineiro, 18º, que recebe o lanterna Atlético Goianiense.

O Tricolor das Laranjeiras está confirmado para a partida a ser realizada hoje, às 21 horas, no estádio do Maracanã. Os visitantes têm uma dúvida para o jogo: o atacante Flavinho, recuperando-se de dores na coxa direita, talvez dê lugar para Araújo.

FLUMINENSE: Fernando Henrique; Mariano, Gum, André Luís e Carlinhos; Diogo, Diguinho, Marquinhos e Darío Conca; Alan e Fred. Técnico: Muricy Ramalho.

GRÊMIO PRUDENTE: Márcio; Paulo César, Paulão, Leonardo e Diego; João Vítor, Rodrigo Mancha, Marcelo Oliveira e Wesley; Vanderley e Araújo (Flavinho). Técnico: Toninho Cecílio.
Essas equipes se enfrentaram por duas vezes na história do futebol, ambas na Série A do ano passado, quando o Grêmio carregava o "sobrenome" Barueri. Ninguém marcou gol.


Fluminense busca a liderança enquanto Grêmio visa não entrar na zona de rebaixamento.